O perigo da fé morta!

Discipulado do reino – parte 5

Tiago é uma das cartas mais desafiantes e diretas que encontro na bíblia. O assunto predominante que ele trata é o relacionamento entre obras e fé, ele apresenta a prática da palavra como fruto da fé salvadora e não como mérito para salvação. Nossa meditação essa semana se baseia nos versículos 19 a 25 do capítulo 1 da carta de Tiago e algumas coisas nos ajudarão a melhor interpretar o texto: Tiago usa “palavra” para se referir as escrituras, ele a percebe como instrumental na regeneração do Cristão(V.18), há um chamado para que se receba a palavra(V.21), (22-25) ele discute o praticar a palavra. Portanto, podemos dividir o texto em dois grupos: 19-21 enfatiza o ouvir e receber e 22-25 enfatiza o praticar.

Texto: “Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se, pois a ira do homem não produz a justiça de Deus. Portanto, livrem-se de toda impureza moral e da maldade que prevalece, e aceitem humildemente a palavra implantada em vocês, a qual é poderosa para salvá-los. Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos. Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem que olha a sua face num espelho e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência. Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu mas praticando-o, será feliz naquilo que fizer” Tg 1:19-25

No v.19 Tiago nos exorta a ter em mente algumas coisas “tenham isto em mente” importantes sobre o receber e ouvir a palavra: O receber a palavra demanda prontidão- a verdade é que relutância serve de bloqueio para que haja aceitação da verdade. O receber da palavra demanda conter o falar- só se pode ouvir quando o falar cessa. Demanda também conter a ira- o homem irado tem a mente fechada para a verdade de Deus e em sua busca por justiça acaba por cometer grandes atos de injustiça. Existe um grande desencontro entre argumentação excessiva e receber humildemente a palavra da verdade.

A razão para a exortação do v.19 é revelada claramente no v.20: a ira do homem não pode produzir a “justiça de Deus”. É no mínimo maravilhoso ver que o Deus que tem toda autoridade para ordenar qualquer coisa por sua palavra poderosa, se preocupa em nos dar razões, afim de nos fazer entender o porque obedece-lo, podendo Deus simplesmente nos exortar a obediência ele se preocupou em escrever sua bíblia com palavras como “pois”, “portanto”, “mas” etc… Todas essas palavras que mostram ao homem finito as razões que o Deus infinito tem. Glória a Deus!

No v.21 Tiago conclui essa sessão sobre receber e ouvir a palavra “Portanto” por ser a ira do homem incapaz de produzir justiça que agrada a Deus “livrem-se de toda impureza moral e da maldade que prevalece e aceitem humildemente a palavra implantada em vocês”. O uso da palavra “implantada” nos faz saber que o seu chamado não é para uma aceitação inicial, pois seus leitores já eram “seus irmãos em Cristo”como consta no v.2, mas a uma apropriação total da verdade é o chamado de Deus que Tiago relata.

Tiago agora depois de ter falado sobre a importância do ouvir e receber a palavra, vai se preocupar em exortar seus leitores a colocar o que se ouve e recebe em prática. Não é suficiente ouvir ou ler a palavra, a motivação do Cristão em ouvir e receber a palavra deve ser descobrir o desejo de Deus em relação suas práticas do dia a dia. A responsabilidade daqueles que ouvem é muito maior do que a dos que nunca ouviram, pois, ao não se praticar a palavra, tal pessoa se coloca numa posição difícil onde a própria palavra da verdade é testemunha contra seus maus feitos!

Versículos 23-25 o autor novamente nos dá o porque devemos colocar em pratica o que ouvimos. Primeiro ele vai nos dizer como é o homem que ouve mas não coloca em prática a palavra. Tiago diz que esse é semelhante ao homem que “olha sua face no espelho e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência”. É interessante notar que a palavra que é traduzido por “olha”significa observar, considerar cuidadosamente. O homem se tornou bem familiarizado com o seu rosto! Isso implica que aqueles que ouvem a palavra devem estudá-la cuidadosamente para que se entenda o que se ouve a fim de descobrir o que Deus espera daqueles que foram “gerados por Sua própria palavra da verdade”V.18. Tiago continua a ilustração nos falando “depois de olhar para si mesmo,””o homem “sai e logo esquece a sua aparência” o que na verdade é ridículo de se pensar! O que Tiago quer nos fazer entender é que não mesmo ridículo do que esse homem são Cristãos que ouvem atentamente a palavra e não se lembram de colocá-la em prática! O propósito de ouvir a verdade é para que se aja de acordo com os seus ensinamentos! Deus sempre condenou o conhecimento teórico de verdades espirituais que não é atrelado à prática do mesmo!

Tiago agora, faz o contraste do homem que é semelhante ao que olha no espelho e logo se esquece de sua imagem, com o que ouve e pratica a palavra, esse segundo “será feliz naquilo que fizer”V.25 A razão de receber tão benção é:

  • Ele é observador atento da palavra
  • Ele persevera na sua observação – Salmos 1
  • Ele não esquece o que ouviu e recebeu
  • Ele pratica o que ouviu

Discipulado do reino diz que o discípulo deve viver de acordo com os ensinamentos das escrituras sagradas! A bíblia é regra de fé(ouvi) e conduta(pratica) dos verdadeiros discípulos de Cristo!

Deus abençoe!

Pr Du.

 

Discipulado do Reino

Olá pessoal,

Em 2014 achei por bem trabalhar com a Liderança da CNA Church  o tema “Discipulado do Reino”. O que acredito é que se formos bons discípulos seremos bons líderes. Ser bom discípulo é ser participante da glória do nosso Senhor pelo ato de salvação e do sofrimento pelo carregar a cruz. Durante 2014 estarei postando nosso boletim da liderança que é enviada semanalmente para os líderes da CNA Church. Minha oração é que seja benção e te inspire a ser um participante do discipulado do reino.

Pr Du.

Liderança nesw letter Fev 14

Jesus é o seu Rei?

O capítulo 6 do evangelho de João é cheio de eventos que demonstram a glória de Cristo como o Deus criador eventos que revelam algumas verdades que nos confrontam. Durante os primeiros versículos João relata o milagre da grande multiplicação onde Jesus demonstrou sua divindade multiplicando cinco pães e 2 peixes. Jesus criou pão e peixe suficiente para alimentar uma multidão. Os versículos seguintes (14-35) relatam a reação do povo diante de tal milagre, o episódio onde Jesus anda sobre as águas e a declaração de Jesus como sendo o Pão da Vida. Hoje quero concentrar na reação do povo diante do milagre e a resposta de Jesus à essa reação.

A primeira importante observação a ser feita é que no evangelho de João, milagres são chamados de sinais. A intenção de João era fazer o leitor entender que os milagres que Jesus operou serviam para apontar para uma realidade maior: a sua identidade como Deus e como o Messias. Quando entendemos isso a declaração do povo depois de ter testemunhado o milagre da multiplicação faz mais sentido: “Sem dúvida este é o Profeta que devia vir ao mundo”. O povo desejou proclamar a Jesus como rei.

Aparentemente, o povo estava fazendo a coisa certa reconhecendo quem Jesus era e por estar querendo fazer dele rei. Porém, a resposta do povo diante dos milagres de cura dos doentes(sabemos que Jesus curou os enfermos por causa do relato do mesmo episódio nos sinópticos) e o enchimento do seu estômago revelou o que eles realmente buscavam no Messias: Eles queriam um libertador terreno, um que pudesse satisfazer todas as suas necessidades físicas – comida e saúde eram sua prioridade. Porém, Jesus se recusa a ser esse tipo de rei, proclamado por motivos egoístas!

Jesus atravessou o mar para a outra margem e o povo o seguiu o encontrando em Cafarnaum. Jesus ao ver o povo, não se alegrou em ve-los, mas foi duro em palavras com eles. Por que Jesus foi duro com o povo depois de o terem seguido? A resposta de Jesus é clara: Eles o seguiram não porque viram os sinas mas porque eles comeram os pães e ficaram satisfeitos. Eles não entenderam que os sinais apontam para uma verdade maior do que os milagres em si. Os sinais que Jesus operou, eram para que mediante a manifestação da gloria dele, as pessoas pudessem, em fé, reconhecer que ele era o messias e o ter como seu maior tesouro. O povo fez do seu tesouro as coisas físicas que sua natureza humana desejava. Jesus era o só o meio que garantia que o desejo deles ia ser feito.

Aplicação:

Hoje existem pessoas que querem fazer de Jesus rei por motivos egoístas, Jesus é só um meio pelo qual se obtém as coisas que o desejo egocêntrico humano deseja. Mas a verdade é que o homem só pode ver o reino de Deus quando Jesus é o seu maior tesouro- quando se entende que todas as coisas que ele faz em seu favor, servem para revelar que Ele é o salvador e o Senhor de tudo e de todos. Quando os milagres de Cristo são vistos como mais preciosos do que o próprio Deus que os opera, Jesus se recusa ser o rei dos que assim agem.

Faça de Jesus o seu maior tesouro, sua segurança e o que você deseja como prioridade, para que mesmo quando Deus escolher não fazer o milagre que você pede e precisa, você ainda sim possa se alegrar nele e não nos sinais que Ele opera. O prazer é o próprio Jesus e não as bênçãos dele!

Deus abençoe

Pr. Eduardo Ramos

Evangelho simples

Evangelho puro e simples é o que está cada vez mais escasso na Igreja brasileira. Nossas igrejas estão crescendo e fugindo do seu propósito inicial que é a centralidade de Cristo. Hoje, o evangelho se resume à psicologia e auto ajuda algo que é radicalmente diferente do evangelho que confrontava os que criam a viver de forma que Cristo era manifesto em todos os aspectos de sua vida, onde a prioridade não era ter mais e o melhor do que um mundo capitalista pode oferecer mas o ter mais e do melhor,  era fazer a vontade de Deus, viver de tal maneira que Cristo era centralidade de todas as coisas, a motivação para se achegar à Deus e a fonte do prazer dos que aceitavam a palavra com fé.

Meu desejo é que esse blog sirva para despertar crentes a voltarem para um Cristianismo puro e simples, onde a centralidade de Cristo é a prioridade total.

Deus abençoe,

Pr Eduardo.Image