Fé sem obras é morta

Tiago tendo tratado sobre o ouvir e receber a palavra da verdade pela qual fomos gerados (1:18), sobre a prática dessa palavra da vida e sobre como parcialidade é incompatível com a verdadeira religião, pois viola a palavra pela qual fomos gerados, parte agora para uma exortação mais confrontante! Segue o texto para nossa meditação:

“De que adianta, meus irmãos, alguém dizer que tem fé, se não tem obras? Acaso a fé pode salvá-lo? Se um irmão ou irmã estiver necessitando de roupas e do alimento de cada dia e um de vocês lhe disser: “Vá em paz, aqueça-se e alimente-se até satisfazer-se”, sem porém lhe dar nada, de que adianta isso? Assim também a fé, por si só, se não for acompanhada de obras, está morta. Mas alguém dirá: “Você tem fé; eu tenho obras”. Mostre-me a sua fé sem obras, e eu lhe mostrarei a minha fé pelas obras. Você crê que existe um só Deus? Muito bem! Até mesmo os demônios crêem — e tremem! Insensato! Quer certificar-se de que a fé sem obras é inútil? Não foi Abraão, nosso antepassado, justificado por obras, quando ofereceu seu filho Isaque sobre o altar? Você pode ver que tanto a fé como as suas obras estavam atuando juntas, e a fé foi aperfeiçoada pelas obras. Cumpriu-se assim a Escritura que diz: “Abraão creu em Deus, e isso lhe foi creditado como justiça”, e ele foi chamado amigo de Deus. Vejam que uma pessoa é justificada por obras, e não apenas pela fé. Caso semelhante é o de Raabe, a prostituta: não foi ela justificada pelas obras, quando acolheu os espias e os fez sair por outro caminho? Assim como o corpo sem espírito está morto, também a fé sem obras está morta. Tg 2:14-26

Para interpretarmos corretamente o texto acima, algumas observações são de suprema importância: 1. Tiago escreve sua carta para crentes professos que estavam esquecidos sobre o fato que Fé genuína e obras que demonstram amor genuíno um pelos outros são parte de uma mesma realidade e não duas coisas distintas. O problema desses Cristãos é que estavam enganados ao terem fé e obras como duas realidades diferentes, o que Tiago visa é demonstrar e convencer seus leitores de que fé genuína se evidencia em obras, e a ausência de obras identifica uma fé falsa, nas palavras dele “ fé morta”V.26. O segundo ponto importante a fazer, é que Tiago não está ensinando que salvação é alcançada por obras indo assim contra os ensinamento de Paulo, que diz que a salvação é exclusivamente através da graça de Deus mediante a fé e arrependimento. A intenção do autor aqui se torna claro quando entendemos corretamente seu argumento, Fé genuína leva a ação, ela é dinâmica e possibilita a pratica das boas obras preparada de antemão para que as praticássemos(Ef 2:10).  Versículos como 2:14 “Acaso a fé pode salva-lo?” devem ser interpretados com a definição certa, definição que podemos entender pelo contexto de sua carta até aqui. Fé até aqui tem sido a fé que os crentes recipientes de sua carta tem demonstrado: confissão de fé em Jesus Cristo que não resulta na pratica da palavra da verdade. Essa fé não é salvadora pois ela não carrega em si a evidencia para tal fé, a saber, boas obras. A carta de Tiago não deixa espaço para que uma fé seja uma mera aceitação mental da verdade, ela precisa resultar em obras.

Tendo estabelecido essas coisas vamos ao texto:

No versículo 14 Tiago nos mostra como a fé que não é acompanhada por boas obras não tem valor salvador algum “Acaso a fé pode salvá-lo?” O argumento do autor aqui é claro, Fé que salva se prova pelas obras que ela produz, princípio esse que Jesus deixa claro em seus ensinamentos “uma árvore é conhecida pelo seu fruto Mt12:33” O que esta sendo ensinado aqui não é que as obras ganham o favor de Deus mas que fé verdadeira é diretamente ligada a regeneração e por isso resultará em mudança no comportamento.

Nos versículos 15-16 Tiago ilustra o seu ponto referente ao versículo anterior, o caso aqui é: “Se um irmão ou irmã estiver necessitando de roupas e do alimento de cada dia…” Ele faz isso pra trazer a mente como a fé genuína deve agir em circunstâncias assim. Se a resposta for dizer “Vá em paz, aqueça-se e alimente-se até satisfazer-se”, sem porém lhe dar nada,” que bem tem nisso? A forma desses verbos traz a ideia de que tal pessoa passa a responsabilidade de suprir a necessidade a outro ou então significa dizer para a pessoa em necessidade “aqueça-se e alimente-se”sem que se identifique uma fonte de suprimento a tal necessidade(EBC Abridged), o que na verdade é em si, um ato de crueldade com o necessitado. Assim ele pode dizer “do que adianta isso?” essa fachada falsa que finge se importar com o próximo? Isso não é fé verdadeira!

No versículo 17 ele faz uma afirmação conclusiva “a fé em si mesma, se não acompanhada por obras está morta” Boas obras são então frutos da verdadeira fé, a ausência deles testifica do quanto a fé na verdade é morta e falsa!

Versus 18-25 Ele vai apresentar o argumento para tal conclusão. O seu primeiro ponto é que só se pode demonstrar fé por ações, porque fé é uma atitude do interior do homem, e ela só pode de fato ser vista à medida que ela se manifesta em ações na vida daquele que a possui. Dizer que tem fé não prova que ela é uma realidade, por isso Tiago diz “Eu lhe mostrarei a minha fé pelas minhas obras”pois fé só pode ser vista assim, por obras. O segundo ponto em seu argumento em suporte a conclusão do v.17 tem haver com a natureza da fé salvadora. Ela não só crer intelectualmente num credo, no caso aqui citado por Tiago provavelmente a Shema, encontrado em Dt 6:4 “O Senhor seu Deus é um”, pois isso até os demônios sabem e tremem! Porém, fé salvadora vai muito além disso, ela envolve todo interior do homem, trazendo paz com Deus e uma vida exterior transformada! No versículo 22 Tiago nos fala algo interessante, ele diz “Você pode ver que tanto a fé como as suas obras estavam atuando juntas, e a fé foi aperfeiçoada pelas obras.”Depois de ter citado o exemplo de Abraão oferecendo Isaque a Deus. O que ele deseja é que seus leitores entendam que se Abraão não tivesse oferecido Isaque em obediência, ele seria incapaz de ser justificado porque a fé sem obras é na verdade ausência de fé, portanto não salvadora. Ele ainda cita o exemplo de Raabe que em fé arriscou sua vida para proteger os espiões e como resultado ela foi justificada. Sua fé resultou em obras e esse é o ponto principal da nossa passagem bíblica de hoje: verdadeira fé produz boas obras!

V.26 conclui essa sessão usando a ilustração do corpo humano “O corpo sem espirito está morto”. O corpo sem o espirito nada mais é do que um cadáver, algo sem vida, sem ação. Tiago depois compara esse corpo sem espirito com fé sem obras e a intenção dele é de nos fazer entender que fé sem obras não tem serventia alguma, é lixo! É importante notar porém, que Tiago não diz que boas obras é o que dar vida a fé, mas que a fé do verdadeiro discípulo de Cristo é inseparável das obras, são parte da mesma realidade.

Na caminha seguindo a Jesus nós vamos ser desafiados a ter uma fé ativa, uma que se preocupa em ser resposta a necessidade do próximo, a pergunta que deve ser respondida depois de uma análise do nosso comportamento é: Será que vejo evidencia da fé verdadeira em mim? Boas obras apontam para uma fé genuína. Se não vejo, preciso então me arrepender e pedir a Deus que me dê fé salvadora!

O verdadeiro discípulo é aquele que recebeu em si o dom da verdadeira fé!

Pr. Du

2 thoughts on “Fé sem obras é morta

  1. Pr Dú, texto dificil, mas muito bem explicado.
    Gloria a Deus por isso.
    Graça e Paz.
    Só nos encoraja a buscar e evidenciar nossa fé.
    Que ela seja genuina assim como o amor de Deus por nós.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s