Verdadeira ou falsa religião

Como é rica a palavra do Senhor e como ela testifica da sua sabedoria perfeita! Louvado seja Deus que em sua fidelidade nos deixou um relato escrito, a fim de nos tornar sábios para a salvação, que Ele dispôs mediante Jesus Cristo, o Santo de Deus! Hoje o nosso texto de meditação se encontra em Tiago 1:26-2:1 – “Se alguém se considera religioso, mas não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo. Sua religião não tem valor algum! A religião que Deus, o nosso Pai aceita como pura e imaculada é esta: cuidar dos órfãos e das viúvas em suas dificuldades e não se deixar corromper pelo mundo. Meus irmãos, como crentes em nosso glorioso Senhor Jesus Cristo, não façam diferença entre as pessoas, tratando-as com favoritismo.”
Nos versículos anteriores(22-25) Tiago exortou seus leitores a serem ouvintes atentos e praticantes da palavra da verdade. Ele agora vai mostrar 3 áreas especificas onde a verdade deve ser colocada em prática na vida daqueles que participam do discipulado do reino(verdadeira religião): no falar, na maneira que se relaciona com outras pessoas e na maneira que se relaciona com o “mundo”.

  • No falar v.26 – Tiago aqui cria um contexto para o argumento que ele apresenta, ele diz “Se alguém se considera religioso” em outras palavras, se alguém se considera verdadeiro discípulo de Cristo, o considerar-se discípulo verdadeiro é o contexto. Com isso em mente ele diz que o que assim se considera “mas não refreia a sua língua”, engana a si mesmo!Porque a evidencia de conhecer ao Senhor Jesus Cristo é a manifestação do caráter misericordioso dele, na maneira que se fala daqueles que Deus escolheu para serem “ricos em fé e herdeiros do reino que ele prometeu aos que o amam” V.2:5. O verdadeiro discípulo de Cristo tem seus irmão em lugar elevado “Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprios.” Rm 12:10.
  • Na maneira que se relaciona com pessoas- O chamado do discipulado do reino é um que exige ação! A religião que é agradável a Deus é a que exerce uma influencia positiva na vida de outros. O “dar honra”de Rm 12:10 é mais do que ter em auto estima mas requer uma ação positiva de “cuidar… … em suas necessidades”V.27 daqueles que precisam ser ajudados. A religião verdadeira é mais do que algo externo, portanto, o ajudar deve ser motivado não pelo desejo de ser visto mas das verdades espirituais ouvidas que agora quando colocadas em prática resultarão em ações de graça a Deus. Isso é fé se expressando por meio do amor que discípulos de Cristo devem dispensar à aqueles que Deus escolheu!
  • Na maneira que se relaciona com o “mundo” – É importante aqui uma definição dessa palavra mundo. Ela descreve a totalidade da ordem má que se opõem a Deus e a sua justiça. Diante disso Tiago nos diz que a verdadeira religião não se deixa corromper por essa ordem má que se opõem a Deus. Aqui moralidade é a questão, o discípulo de Cristo é lembrado que toda essa expressão prática da palavra deve ter seu fundamento no rompimento com o o pecado que Deus operou o gerando pela palavra da verdadeV.18.

Nos versículos 19-27 do capítulo 1 Tiago mostra a necessidade de praticar a palavra, ele ensina sobre as implicações dessa prática da palavra em 3 áreas específicas, as que foram descuidas acima. No capítulo 2 Tiago vai nos mostrar como que a parcialidade(favoritismo) viola o padrão que ele estabeleceu acima – verdade de Deus ouvida e sua prática nas devidas áreas discutidas. Tiago faz isso lembrando os seus leitores em quem eles são crentes, quem é o objeto de fé deles -“crentes em nosso gloriosos Senhor Jesus Cristo. Ao descrever Jesus como glorioso, ele está revelando o motivo pelo qual parcialidade é incoerente com o discipulado do reino. Trata se alguém com parcialidade pelo medo que se sente e a falsa noção que a pessoa possa suprir essa necessidade, seja isso manifestado em segurança, oportunidade financeira, status, conforto, fama, trabalho, cola na prova e etc. Isso se constitui um insulto ao “glorioso Senhor Jesus Cristo”pois ele, e somente ele, com toda a sua glória pode de fato lançar fora o nosso medo por meio do seu perfeito amor e nos fazer habitar em segurança. Portanto, a verdadeira religião não trata com parcialidade porque ela tem no Glorioso Senhor Jesus Cristo todas as suas necessidades supridas e a busca de tentar achar soluções para o medo e a insegurança já não existe para os que se acham em Cristo!

Para meditação:

A verdadeira religião ouve e coloca em prática a palavra começando no falar, depois no relacionamento com pessoas e no relacionamento com o mundo. Em vista dessas verdades, como tenho falado do meu irmão? Como tenho buscado a honra dele mais do que a minha? Será que houve um rompimento com o pecado genuíno em mim?

Será que trato pessoas com parcialidade a fim de buscar a aprovação delas?

Infelizmente, enquanto estivermos na peregrinação desta vida corpórea, estaremos tentados a praticar uma falsa religião, onde verdade da palavra e prática da mesma são realidades distantes uma das outras, onde parcialidade se torna tão comum que passa despercebido por debaixo de nossos olhos. Por essa razão, existe grande benefício em parar para uma profunda análise da nossa fé. Que o gloriosos Senhor Jesus nos ajude, nos dando olhos que veem e ouvidos que ouvem!
Deus abençoe

Pr Du.

Deus concede o desejo do coração daqueles que o amam

Em março nossa base de estudo sobre o discipulado do reino será a carta de Tiago. Na reunião do primeiro sábado do mês nós vimos essa idéia de alegria por passar por várias provas. O que quero fazer hoje é elaborar um pouco mais essa verdade revisando o conteúdo apresentado e introduzindo alguns novos temas. Segue o texto para nossa meditação:!

“Tiago, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, às doze tribos dispersas entre as nações: Saudações! Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma.” Tg 1:1-4

Para que se possa começar a experimentar essa “grande alegria”ao passar por várias provações, a introdução da carta de Tiago no versículo 1 é muito importante. Ele diz: “Tiago servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo” O fundamento da alegria que se sente ao passar por provações está ligado diretamente a certeza sobre a identidade que se tem em Cristo. Tiago sabe quem ele é diante de Deus e do Senhor Jesus, e é essa certeza que sustenta a base de todo o seu argumento nos versículos seguintes, ele é servo! Da sua introdução podemos concluir o seguinte:

  • Tiago era servo de Deus e do Senhor- Isso é GLORIOSO!
  • Ele havia sido reconciliado a Deus mediante a expiação oferecida por Cristo. O que é totalmente imerecido a qualquer pessoa!
  • Ele havia sido liberto da escravidão da morte e do diabo e foi feito servo de Deus por intermédio de Cristo Jesus. Isso é claro na escolha da palavra ao referir-se a Cristo o seu “Senhor”.

O fato é que Tiago tinha certeza da sua nova natureza- “servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo”. Essa certeza da nova natureza em Cristo é a fundação de qualquer alegria que um verdadeiro discípulo sente. É verdade que Deus concede o desejo do coração dos verdadeiros discípulos mas o que o coração do verdadeiro discípulo deseja é sempre em primeira instancia, o próprio Deus! É por essa razão que Tiago pode falar que é motivo de grande alegria passar por provações porque o final delas é glória a Deus, é “mais de Deus”.

Para que sejais “perfeitos e completos”(ACF)

“Maduros ou perfeitos” é a tradução da palavra teleios “que transmite a idéia bíblica de perfeição, a mesma idéia expressa na passagem “sede perfeitos como é perfeito o Pai celestial de vocês” encontrada em Mt 5:48. A idéia bíblica de perfeição é “no sentido de relacionamento correto com Deus, que frutifica no empenho sincero de amá-lo de todo o coração em obediência irrestrita e uma vida inculpável.”(Bíblia de estudo Pentecostal)!

É motivo então de grande alegria para o servo de Cristo passar por várias provações, porque elas produzem perseverança, que quando tem sua ação completa aperfeiçoa o nosso caráter nos fazendo mais parecidos com Cristo e dando assim glória, a Deus, e mais de Deus e do Senhor Jesus Cristo ao servo!

Para meditação:

- Eu tenho certeza da minha nova natureza em Cristo? Onde encontro na palavra segurança sobre a eficácia da obra de Cristo em mim?

- O que o meu coração deseja é diferente do que mais do meu Deus e Senhor Jesus Cristo?

Discipulado do reino tem que responder essas questões!

Ótima semana e que Deus nos abençoe!

Pr Du.

O perigo da fé morta!

Discipulado do reino – parte 5

Tiago é uma das cartas mais desafiantes e diretas que encontro na bíblia. O assunto predominante que ele trata é o relacionamento entre obras e fé, ele apresenta a prática da palavra como fruto da fé salvadora e não como mérito para salvação. Nossa meditação essa semana se baseia nos versículos 19 a 25 do capítulo 1 da carta de Tiago e algumas coisas nos ajudarão a melhor interpretar o texto: Tiago usa “palavra” para se referir as escrituras, ele a percebe como instrumental na regeneração do Cristão(V.18), há um chamado para que se receba a palavra(V.21), (22-25) ele discute o praticar a palavra. Portanto, podemos dividir o texto em dois grupos: 19-21 enfatiza o ouvir e receber e 22-25 enfatiza o praticar.

Texto: “Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se, pois a ira do homem não produz a justiça de Deus. Portanto, livrem-se de toda impureza moral e da maldade que prevalece, e aceitem humildemente a palavra implantada em vocês, a qual é poderosa para salvá-los. Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos. Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem que olha a sua face num espelho e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência. Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu mas praticando-o, será feliz naquilo que fizer” Tg 1:19-25

No v.19 Tiago nos exorta a ter em mente algumas coisas “tenham isto em mente” importantes sobre o receber e ouvir a palavra: O receber a palavra demanda prontidão- a verdade é que relutância serve de bloqueio para que haja aceitação da verdade. O receber da palavra demanda conter o falar- só se pode ouvir quando o falar cessa. Demanda também conter a ira- o homem irado tem a mente fechada para a verdade de Deus e em sua busca por justiça acaba por cometer grandes atos de injustiça. Existe um grande desencontro entre argumentação excessiva e receber humildemente a palavra da verdade.

A razão para a exortação do v.19 é revelada claramente no v.20: a ira do homem não pode produzir a “justiça de Deus”. É no mínimo maravilhoso ver que o Deus que tem toda autoridade para ordenar qualquer coisa por sua palavra poderosa, se preocupa em nos dar razões, afim de nos fazer entender o porque obedece-lo, podendo Deus simplesmente nos exortar a obediência ele se preocupou em escrever sua bíblia com palavras como “pois”, “portanto”, “mas” etc… Todas essas palavras que mostram ao homem finito as razões que o Deus infinito tem. Glória a Deus!

No v.21 Tiago conclui essa sessão sobre receber e ouvir a palavra “Portanto” por ser a ira do homem incapaz de produzir justiça que agrada a Deus “livrem-se de toda impureza moral e da maldade que prevalece e aceitem humildemente a palavra implantada em vocês”. O uso da palavra “implantada” nos faz saber que o seu chamado não é para uma aceitação inicial, pois seus leitores já eram “seus irmãos em Cristo”como consta no v.2, mas a uma apropriação total da verdade é o chamado de Deus que Tiago relata.

Tiago agora depois de ter falado sobre a importância do ouvir e receber a palavra, vai se preocupar em exortar seus leitores a colocar o que se ouve e recebe em prática. Não é suficiente ouvir ou ler a palavra, a motivação do Cristão em ouvir e receber a palavra deve ser descobrir o desejo de Deus em relação suas práticas do dia a dia. A responsabilidade daqueles que ouvem é muito maior do que a dos que nunca ouviram, pois, ao não se praticar a palavra, tal pessoa se coloca numa posição difícil onde a própria palavra da verdade é testemunha contra seus maus feitos!

Versículos 23-25 o autor novamente nos dá o porque devemos colocar em pratica o que ouvimos. Primeiro ele vai nos dizer como é o homem que ouve mas não coloca em prática a palavra. Tiago diz que esse é semelhante ao homem que “olha sua face no espelho e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência”. É interessante notar que a palavra que é traduzido por “olha”significa observar, considerar cuidadosamente. O homem se tornou bem familiarizado com o seu rosto! Isso implica que aqueles que ouvem a palavra devem estudá-la cuidadosamente para que se entenda o que se ouve a fim de descobrir o que Deus espera daqueles que foram “gerados por Sua própria palavra da verdade”V.18. Tiago continua a ilustração nos falando “depois de olhar para si mesmo,””o homem “sai e logo esquece a sua aparência” o que na verdade é ridículo de se pensar! O que Tiago quer nos fazer entender é que não mesmo ridículo do que esse homem são Cristãos que ouvem atentamente a palavra e não se lembram de colocá-la em prática! O propósito de ouvir a verdade é para que se aja de acordo com os seus ensinamentos! Deus sempre condenou o conhecimento teórico de verdades espirituais que não é atrelado à prática do mesmo!

Tiago agora, faz o contraste do homem que é semelhante ao que olha no espelho e logo se esquece de sua imagem, com o que ouve e pratica a palavra, esse segundo “será feliz naquilo que fizer”V.25 A razão de receber tão benção é:

  • Ele é observador atento da palavra
  • Ele persevera na sua observação – Salmos 1
  • Ele não esquece o que ouviu e recebeu
  • Ele pratica o que ouviu

Discipulado do reino diz que o discípulo deve viver de acordo com os ensinamentos das escrituras sagradas! A bíblia é regra de fé(ouvi) e conduta(pratica) dos verdadeiros discípulos de Cristo!

Deus abençoe!

Pr Du.

 

Discipulado do Reino

Olá pessoal,

Em 2014 achei por bem trabalhar com a Liderança da CNA Church  o tema “Discipulado do Reino”. O que acredito é que se formos bons discípulos seremos bons líderes. Ser bom discípulo é ser participante da glória do nosso Senhor pelo ato de salvação e do sofrimento pelo carregar a cruz. Durante 2014 estarei postando nosso boletim da liderança que é enviada semanalmente para os líderes da CNA Church. Minha oração é que seja benção e te inspire a ser um participante do discipulado do reino.

Pr Du.

Liderança nesw letter Fev 14